Spore

De Guia Galáctico



Spore (estilizado como SPORE em materiais promocionais) é um jogo de simulação e estratégia em tempo real, desenvolvido pela Maxis e lançado pela Electronic Arts em 2008 para PC e Mac. O jogo atraiu interesse da mídia especializada pelas suas ferramentas de criação, recursos de compartilhamento e o uso de geração procedural.

Em Spore, o objetivo do jogador é guiar uma espécie desde seus primórdios como um organismo unicelular até evoluir em espécie inteligente e construir civilização interplanetária. O jogo é dividido em cinco estágios representantes de uma etapa evolutiva. Cada estágio é baseado em um gênero ou jogo, e possui ferramentas de criação específicas onde o jogador pode criar e editar o conteúdo do jogo, como sua criatura, edifícios ou veículos.

O jogo está disponível para PC e Mac na Origin e para PC na Steam e na GOG.com.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Spore simula a evolução de uma espécie desde um organismo microscópico até o desenvolvimento de um ser complexo e inteligente, capaz de formar tribos, civilizações e, eventualmente, estabelecer colônias interplanetárias e viajar pela galáxia.

A jogabilidade de Spore é focada em três aspectos principais: a criação de conteúdos através de ferramentas de criação intuitivas; o uso desses conteúdos através de cinco estágios evolutivos; e o compartilhamento das criações entre jogadores através da Sporepédia, que distribui e povoa a Galáxia do jogador com o conteúdo criado por outros jogadores.

Modos de jogo[editar | editar código-fonte]

Ao iniciar o jogo, o jogador é apresentado ao Menu Galáctico com três modos, que dão acesso à diferentes recursos do jogo.

Embora esses modos sejam diferentes, o jogador terá acesso às ferramentas de criação ao decorrer dos estágios, e os recursos de compartilhamento e comunidade estão disponíveis a qualquer momento no jogo através do menu principal.

Jogar[editar | editar código-fonte]

O Modo Jogar permite que o jogador acompanhe a evolução de uma espécie através de cinco estágios evolutivos (célula, criatura, tribal, civilização e espacial). O jogo começa quando o jogador seleciona um planeta natal para a sua espécie. Na primeira vez, o jogador só tem acesso ao estágio inicial, mas os outros estágios são liberados conforme o jogador passa por eles, podendo iniciar uma nova jornada evolutiva direto em um estágio posterior em outro planeta.

Cada um desses estágios é baseado em um gênero de jogabilidade diferente, com o escopo do jogo aumentando a cada nova etapa, representado através da câmera se afastando do planeta da sua espécie conforme ela evolui e se distribui pelo mundo e, eventualmente, pelo espaço.

O processo evolutivo da espécie no jogo é todo controlado pelo jogador, que pode criar criaturas, veículos, edifícios e terraformar planetas através de criadores e planejadores que são liberados conforme o jogo progride. Essas ferramentas de criação estão todas acessíveis desde o início no modo Criar, embora no modo Jogo elas são limitadas a exibir apenas partes encontradas pela espécie do jogador durante o jogo.

O planeta natal e os outros planetas da galáxia, que a espécie poderá descobrir e viajar no estágio espacial, são todos polinizados de forma procedural pelo jogo com criações compartilhadas entre os jogadores através da Sporepédia. A linha do tempo do jogo registra todas as espécies e criações encontradas pela espécie do jogador, e a Sporepédia concentra as informações das criações em cartões com estatísticas, informações sobre o jogador que a criou e comentários da comunidade.

O Criador de Criaturas

Criar[editar | editar código-fonte]

O modo Criar dá acesso rápido à todas os Criadores e Fornecedores do jogo que permitem criar conteúdo compartilhado. Através desse menu, é possível criar livremente criaturas, veículos, edifícios e aventuras sem as limitações de partes encontradas no modo Jogar. Essas criações podem ser compartilhadas diretamente com a Sporepédia.

O modo Criar não dá acesso aos Planejadores encontrados nos estágios posteriores de Spore, já que tribos e cidades não podem ser compartilhadas. Esses planejadores ajudam a compôr tribos, cidades e colônias, mas são acessíveis somente durante o jogo em seus respectivos estágios.

Como células e hinos de cidades não podem ser compartilhadas através da Sporepédia, os criadores de células e hinos, não estão disponíveis no Modo Criar, só podendo ser acessados durante o modo Jogar.

Compartilhar[editar | editar código-fonte]

O modo Compartilhar dá acesso à Sporepédia e aos recursos de comunidadde oferecidos pelo Spore. Embora seu escopo seja amplo em funcionalidades no jogo, a Sporepédia em si é um catálogo de jogadores e criações compartilhadas, que oferece informações sobre as estatísticas de cada criação (como habilidades de criaturas ou durabilidade de edifícios).

A Sporepédia registra o histórico de criações e edições, possibilitando ver se uma criação é uma nova versão de outra criação compartilhada anteriormente por outro jogador. Jogadores possuem perfis na Sporepédia chamados Página Meu Spore, que une todo o conteúdo criado e organizado pelo jogador que foi compartilhado através da Sporepédia.

Jogadores podem organizar e catalogar suas criações e criações de terceiros em coleções denominadas sporecasts, podem fazer ou receber comentários e avaliar positiva ou negativamente criações e sporecasts.

A Sporepédia também registra as realizações obtidas pelo jogador durante os modos Jogar e Criar. É possível comparar as realizações conquistadas entre jogadores através da Página Meu Spore no site oficial de Spore.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento de Spore começou em meados de 2000, juntamente com o desenvolvimento de The Sims Online[1], originalmente denominado SimEverything. O conceito do jogo foi inspirado pelo filme Powers of Ten, em que o universo é visto em escalas na grandeza de 10, desde a galáxia como um todo até uma partícula atômica.

O estágio da cidade visto na apresentação técnica da GDC 2005.

Spore foi anunciado oficialmente em 2005 durante a palestra The Future of Content[2], dada por Will Wright na Game Developers Conference, demonstrando o uso da geração procedural de conteúdos criados por jogadores para alimentar os diferentes estágios do jogo. A demonstração era uma prévia técnica[3], onde pequenas cenas foram desenvolvidas com a tecnologia de The Sims 2. Em junho de 2005, o primeiro trailer de Spore foi revelado na E3[4], com lançamento previsto para a segunda metade de 2006.

Spore sofreu atrasos de lançamento consecutivos devido à complexidade do desenvolvimento de seu escopo, o que acarretou em mudanças de jogabilidade, como o número de estágios (de sete estágios exibidos na demonstração para cinco estágios no jogo final).

A equipe de desenvolvimento de Spore foi incentivada a criar diversos protótipos de simulação de diferentes aspectos do jogo. Essa abordagem para o desenvolvimento foi criticada pelos desenvolvedores, que criaram os recursos do jogo isoladamente, sem poder aplicá-los em um produto final, o que resultou no “isolamento” de recursos nos estágios[5].

Os recursos de compartilhamento de Spore, principalmente a Sporepédia, o formato de arquivos compartilhados, e a aplicação dos conteúdos no jogo foram desenvolvidos a partir do motor de compartilhamento de recursos do The Sims Exchange, denominado Swarm[6]. As ferramentas de criação foram idealizadas por Chaim Gingold.

Atualizações e suporte[editar | editar código-fonte]

De 2008 à 2010, Spore recebeu seis patches de atualização com correções de bugs e melhorias de jogabilidade ou recursos, todos disponibilizados no site oficial. Um sétimo patch lançado em 2015 atualizou os certificados de segurança do jogo para os novos servidores da EA.

Embora o título não esteja mais em desenvolvimento ativo desde o lançamento da expansão Aventuras Galácticas em 2009, os servidores que mantém a Sporepédia e as páginas Meu Spore continuam ativos.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Spore foi lançado em 4 de setembro de 2008 na Oceania, 5 de setembro no Brasil e na Europa, e 7 de setembro em outros territórios, vendendo dois milhões de cópias em seu primeiro mês.

O jogo foi lançado em meio à uma controvéria devido ao uso do DRM chamado SecuROM, aplicado pela Electronic Arts para controlar o número de instalações que o jogo poderia ter. O SecuROM não podia ser desinstalado dos computadores dos usuários, o que resultou em um processo jurídico contra a empresa. A Electronic Arts lançou uma ferramenta de desautorização para “desarmar” uma instalação de Spore. O SecuROM foi um dos fatores para que Spore fosse um dos jogos mais pirateados de 2008. Em 2012, com o lançamento da loja Origin, as cópias de Spore instalados através do aplicativo não possuíam mais o DRM.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Spore recebeu uma avaliação positiva da mídia especializada quando foi lançado, prezando suas ferramentas de criação intuitivas, seus recursos de compartilhamento, a tecnologia de animação e o estágio espacial; críticas do jogo foram feitas pela falta de profundidade na jogabilidade aos outros estágios do jogo, que limitavam o escopo das escolhas dos jogadores à três ações — agressiva, pacífica ou equilibrada. Spore recebeu uma avaliação média de 84 no agregador de críticas Metacritic[7].

Spore recebeu o prêmio de realização técnica do BAFTA Game Awards[8] e foi denominado uma das melhores invenções de 2008 pela revista TIME[9].

Requisitos de sistema[editar | editar código-fonte]

Windows[editar | editar código-fonte]

  • Sistema operacional: Windows XP ou superior.
  • Memória RAM: 512 MB (Windows XP); 768 MB (Windows Vista).
  • Processador: Pentium 4 de 2.0 GHz ou equivalente.
  • Disco rígido: ao menos 4 GB de espaço livre.
  • Placa de vídeo: 128 MB dedicados, com suporte a Pixel Shader 2.0.

Para computadores usando placas de vídeo integradas, os requisitos são:

  • Memória RAM: 768 MB.
  • Processador: Intel Core 2 Duo de 1.8 GHz ou superior.
  • Placa de vídeo: Intel Integrated Chipset 945M.

Placas de vídeo suportadas:

  • NVIDIA GEFORCE:
    • FX 5900, FX 5950.
    • 6200, 6500, 6600, 6800.
    • 7200, 7300, 7600, 7800, 7900, 7950.
    • 8400, 8500, 8600, 8800.
    • 9600, 9800, GTX 260, GTX 280.
  • ATI Radeon:
    • 9500, 9600, 9800.
    • X300, X600, X700, X800, X850.
    • X1300, X1600, X1800, X1900, X1950.
    • 2400, 2600, 2900.
    • 3450, 3650, 3850, 3870.
    • 4850.
  • Intel Extreme Graphics:
    • GMA 950, GMA X3000, GMA X3100.

Mac[editar | editar código-fonte]

  • Sistema operacional: Mac OS X 10.5.3 “Leopard” ou superior.
  • Processador: Intel Core Duo.
  • Memória RAM: 1 GB.
  • Disco rígido: ao menos 4 GB de espaço livre.
  • Placa de vídeo: ATI Radeon X1600 ou NVIDIA GEFORCE 7300 GT com 128 MB de memória dedicada; ou Intel Integrated GMA X3100.

Para computadores usando placas de vídeo integradas, os requisitos são:

  • Processador: Intel Core 2 Duo de 1.7 GHz ou superior.
  • Placa de vídeo: Intel Integrated Chipset GMA X3100.

Placas de vídeo suportadas:

  • NVIDIA GEFORCE: 7300, 7600, 8600, 8800.
  • ATI Radeon: X1600, X1900, HD 2400, HD 2600.
  • Intel Integrated Graphics: GMA X3100.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]